28 de novembro de 2017

Qual é a cor do Advento?


Maria: Por que a cor do Advento agora é azul?

Maria, a cor do Advento é a roxa. Onde você ouviu dizer que é o azul? Há algum engano. Para ajudá-la a entender melhor, segue uma explicação, conforme a Liturgia.

O que é o Advento?
O Advento é tempo de espera.Espera de alguém que vem. Este alguém é o Filho de Deus que traz a salvação a todos. O Advento, do latim Adventus, significa "chegada", "vinda"; do verbo Advenire: "chegar a", "Início",  é o primeiro tempo do Ano litúrgico, que antecede o Natal.

A cor do Advento
A cor predominante do Advento é a cor roxa. Usa-se esta cor, como sinal de penitência e conversão, porém no 3° domingo, considerado domingo da alegria, pode-se usar o rosa. A cor dos paramentos do altar e das vestes do sacerdote é a roxa, como na Quaresma. 


Período do Advento
O tempo do Advento abrange quatro semanas.
Em 2017, o Advento começa no domingo, 03 de dezembro, e se prolonga até a tarde do dia 24 de dezembro, quando começa propriamente o Tempo de Natal.
Podemos distinguir dois períodos.

No primeiro deles, que se estende desde o primeiro domingo do Advento até o dia 16 de dezembro, aparece com maior relevo o aspecto escatológico e nos é orientado à espera da vinda gloriosa de Cristo. As leituras da Missa convidam a viver a esperança na vinda do Senhor em todos os seus aspectos: sua vinda ao fim dos tempos, sua vinda agora, cada dia, e sua vinda há dois mil anos.

No segundo período, que abarca desde 17 até 24 de dezembro, inclusive, se orienta mais diretamente à preparação do Natal. Somos convidados a viver com mais alegria, porque estamos próximos do cumprimento do que Deus prometera. Os evangelhos destes dias nos preparam diretamente para o nascimento de Jesus.
Com a intenção de fazer sensível esta dupla preparação de espera, a liturgia suprime durante o Advento uma série de elementos festivos. Desta forma, na Missa já não rezamos o Glória. Se reduz a música com instrumentos, os enfeites festivos, as vestes são de cor roxa, a decoração da Igreja é mais sóbria.

Todas estas coisas são uma maneira de expressar que, enquanto dura nosso peregrinar, nos falta algo para que nosso gozo seja completo. E quem espera, é porque lhe falta algo. Quando o Senhor se fizer presente no meio do seu povo, haverá chegado a Igreja à sua festa completa, significada pela Solenidade do Natal.

Temos quatro semanas nas quais de domingo a domingo vamos nos preparando para a vinda do Senhor.

A primeira das semanas do Advento está centralizada na vinda do Senhor no final dos tempos. A liturgia nos convida a estar em vigília, mantendo uma especial atitude de conversão.

A segunda semana nos convida, por meio do Batista a “preparar os caminhos do Senhor”; isso é, a manter uma atitude de permanente conversão. Jesus segue chamando-nos, pois a conversão é um caminho que se percorre durante toda a vida.

A terceira semana preanuncia a alegria messiânica, pois já está cada vez mais próximo o dia da vinda do Senhor.

Finalmente, a quarta semana nos fala do advento do Filho de Deus ao mundo. Maria é figura central, e sua espera é modelo e estímulo da nossa espera.

Leituras bíblicas do Advento
Quanto às leituras das Missas dominicais, as primeiras leituras são tomadas de Isaías e dos demais profetas que anunciam a Reconciliação de Deus e, a vinda do Messías.
Nos três primeiros domingos se recolhem as grandes esperanças de Israel e no quarto, as promessas mais diretas do nascimento de Deus.
Os salmos responsoriais cantam a salvação de Deus que vem; são orações pedindo sua vinda e sua graça.
As segundas leituras são textos de São Paulo ou das demais cartas apostólicas, que exortam a viver em espera da vinda do Senhor.

Novena de Natal

De 16 a 24 de dezembro costuma-se fazer a Novena de Natal para preparar mais especificamente as festas do Natal.


Os temas  e a Coroa do Advento
São quatro os temas que se apresentam durante o Advento:

I Domingo
A vigilância na espera da vinda do Senhor. Durante esta primeira semana as leituras bíblicas são um convite com as palavras do Evangelho: “Vegiem e estejam preparados, pois não sabem quando chegará o momento”. É importante que, como uma família, tenhamos um propósito que nos permita avançar no caminho ao Natal; por exemplo, revisando nossas relações familiares. Como resultado deveremos buscar o perdão de quem ofendemos e dá-lo a quem nos tem ofendido para começar o Advento vivendo em um ambiente de harmonia e amor familiar. Desde então, isto deverá ser extensivo também aos demais grupos de pessoas com as quais nos relacionamos diariamente, na escola, no trabalho, com os vizinhos. Esta semana, em família da mesma forma que em cada comunidade paroquial, acenderemos a primeira vela da Coroa do Advento, de cor roxa, como sinal de vigilância e desejo de conversão.

II Domingo
A conversão, nota predominante da pregação de João Batista. Durante a segunda semana, a liturgia nos convida a refletir sobre a exortação do profeta João Batista: “Preparem o caminho, Jesus chega”. Qual poderia ser a melhor maneira de preparar esse caminho que busca a reconciliação com Deus? Na semana anterior nos reconciliamos com as pessoas que nos rodeiam; como próximo passo, a Igreja nos convida a buscar o Sacramento da Reconciliação (Confissão) que nos devolve a amizade com Deus que havíamos perdido pelo pecado. Acenderemos a segunda vela roxa da Coroa do Advento, como sinal do processo de conversão que estamos vivendo.
Durante esta semana vamos buscar nas diferentes igrejas mais próximas, os horários de confissões disponíveis,e participar deste sacramento,  para quando chegar o Natal, estejamos bem preparados interiormente, unindo-nos a Jesus e aos irmãos na Eucaristia.

III Domingo
O testemunho, que Maria, a Mãe do Senhor, vive, servindo e ajudando ao próximo. A sexta-feira anterior a esse Domingo é a Festa da Virgem de Guadalupe, e precisamente a liturgia do Advento nos convida a recordar a figura de Maria, que se prepara para ser a Mãe de Jesus e que além disso está disposta a ajudar e a servir a todos os que necessitam. O evangelho nos relata a visita da Virgem à sua prima Isabel e nos convida a repetir como ela: “quem sou eu para que a mãe do meu Senhor venha a visitar-me?"
Sabemos que Maria está sempre acompanhando os seus filhos na Igreja, pelo que nos dispomos a viver esta terceira semana do Advento, meditando sobre o papel que a Virgem Maria desempenhou. Vivemos a devoção a Maria, rezando o Terço em família. Acendemos como sinal de esperança alegre a terceira vela, de cor rosa, da Coroa do Advento.

IV Domingo
O anúncio do nascimento de Jesus feito a José e a Maria. As leituras bíblicas  dirigem seu olhar à disposição da Virgem Maria, diante do anúncio do nascimento do Filho dela e nos convidam a “aprender de Maria e aceitar Cristo que é a Luz do Mundo”. Como já está tão próximo o Natal, nos reconciliamos com Deus e com nossos irmãos; agora nos resta somente esperar a grande festa. Como família devemos viver a harmonia, a fraternidade e a alegria que esta próxima celebração representa. Todos os preparativos para a festa deverão ser marcados com o firme propósito de aceitar a Jesus nos corações. Acenderemos a quarta vela da Coroa do Advento, de cor roxa.

1 de novembro de 2017

CÉU. O que é?

Cândida dos Santos pergunta:
Por que a Igreja celebra todos os santos?
Todos os Santos, Finados, Céu. O que é o céu? 

Cândida, é bom recordar nossa devoção a santos especiais. Mas, nenhum santo cura, liberta ou faz milagre. O único que faz milagre é Deus, mas Ele quis, por intercessão da Virgem Maria, dos santos e dos anjos, distribuir as suas graças.

No dia 1º de novembro, a Igreja celebra a solenidade de Todos os Santos. No Brasil, liturgicamente, a solenidade é celebrada no domingo seguinte, dia 5, em 2017. 

A  vocação à santidade é universal, ou seja, não é reservada  a alguns apenas. Todos os homens e mulheres são chamados a serem santos. As pessoas que correspondem a este chamado, e que, portanto, viveram e morreram em Cristo, se encontram com Ele no céu.  Mas o que é o céu? 

Na oração do Pai-Nosso, rezamos que Deus está nos Céus. Mas onde é esse Céu? A Igreja instrui que “essa expressão bíblica não significa um lugar – “o espaço”–, mas uma maneira de ser. Não o afastamento de Deus. Nosso Pai não está “em outro lugar”, Ele está “para além de tudo” quanto possamos conceber a respeito de sua Santidade. Porque Ele é três vezes Santo, está bem próximo do coração humilde e contrito” (CIC - Catecismo da Igreja Católica 2794).

“Esse mistério de comunhão bem-aventurada com Deus, e com todos os que estão em Cristo, supera toda compreensão e toda imaginação” (CIC 1027).

"O céu é a comunidade bem-aventurada de todos os que estão perfeitamente incorporados a Ele” (CIC 1026).

No Livro do Apocalipse, capítulo 20, São João afirma que é uma multidão. Porém, nem todos chegarão a ser canonizados pela Igreja; então, esta solenidade de Todos os Santos existe para recordar todos os fiéis que estão no céu.

O Céu é o fim último e a realização das aspirações mais profundas do homem, o estado de felicidade suprema e definitiva” (CIC 1023-1024).

São Paulo diz que  o céu Deus “preparou para os que o amam. É algo que os olhos jamais viram, nem os ouvidos ouviram, nem coração algum jamais pressentiu” (1Cor 2,9). Diz ainda que lá no céu não haverá mais dor, sofrimento, doença, angústia, tristeza, abatimento e desespero, porque “agora nós vemos num espelho, confusamente; mas, então, veremos face a face” (1Cor13,12).

Padre Zezinho, scj, numa de suas canções diz que "o céu não fica lá em cima, aqui também é céu, depende do que a gente faz com a paz que nosso Deus nos dá". Canta Ele: "Das coisas que aprendi, uma delas é que Deus está aqui". Podemos também cantar esta canção, se temos fé!

Ir. Patricia Silva, fsp


18 de setembro de 2017

Tânia: gostaria de saber quais são as dimensões para produzir uma arte para as redes sociais?




Tânia, servimo-nos das orientações profissionais do site que trata de infográficos.
É só acessar
http://materiais.resultadosdigitais.com.br/agradecimento-como-fazer-infografico

4 de julho de 2016

Jornada Mundial da Juventude 2016 - Cracóvia, Polônia

Francisca: Gostaria de saber como acompanhar a Jornada Mundial da Juventude aqui no Brasil.

Francisca, estamos praticamente às vésperas da JMJ 16, em Cracóvia, na Polônia. Passamos a você algumas informações e no final, os contatos na web, e redes sociais.



"Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia" (Mt 5,7)


A Jornada Mundial da Juventude, maior evento da juventude mundial, realiza-se em Cracóvia, na Polônia, de 25 de julho a 1º de agosto de 2016.

tema da Jornada Mundial da Juventude 2016, em Cracóvia,  são as palavras: "Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia" (Mt 5,7) . Papa Francisco escolheu o lema da quinta das oito bem-aventuranças, falada por Jesus no Sermão, na costa do Mar da Galileia. Ele queria salientar a importância das palavras de Cristo sobre a natureza da felicidade, porque elas são o coração do ensino do Senhor Jesus, que no seu primeiro sermão, nos propôs oito atitudes para o Reino dos Céus.
Patronos
Santa Faustina e João Paulo II são patronos da Jornada Mundial da Juventude, em Cracóvia. Quando o verão de 1938, com 18 anos, Karol Wojtyla chegou a Cracóvia para iniciar os estudos na Universidade Jagiellonian, a irmã Faustina, com 33 anos de idade, vivia no mosteiro, em Cracóvia. Ela morreu no dia 5 de outubro, quando Carol começava os estudos na Faculdade. 

Eles nunca se encontraram, mas a providência de Deus, de uma maneira especial, encaminhou o seu destino: João Paulo II canonizou Irmã Faustina, e estabeleceu em toda a Igreja a festa da Divina Misericórdia. Os dois santos de Cracóvia - apóstolos da Divina Misericórdia - são os patronos da Jornada Mundial da Juventude, em 2016. Suas vidas são  exemplos para nós de  profunda confiança na misericórdia de Deus, expressa nas palavras: Jesus, eu confio em você.

João Paulo II foi o iniciador e fundador das Jornadas Mundiais da Juventude. O papa visitou sua terra natal nove vezes: em 1979, 1983, 1987, 1991, 1995, 1997, 1999. A última foi em agosto de 2002. Todas as vezes ele se reuniu com a juventude polonesa.

A página da JMJ 2016, no Facebook, traduzida em 20 línguas, teve mais de 1,5 milhões de curtidas em todo o mundo. Por outro lado, o Twitter, em 13 línguas, conta com 220 mil seguidores. 

O site - www.krakow2016.com/pt/

A hashtag para seguir o evento é #KRAKOW2016.

A JMJ também está presente no Instagram, Snapchat, Pinterest, Flickr e nas outras redes sociais. 

Para permitir aos participantes terem informações úteis durante a sua estadia em terras polonesas, foi projetado um aplicativo gratuito, disponível em nove línguas, e também um mapa e um guia móvel.

4 de fevereiro de 2016

Papa Francisco vai ao México

Marcos, do Tucuruvi (SP), pergunta: É verdade que o papa  Francisco vai ao México?
Marcos, o  papa Francisco fará uma viagem ao México de 12 a 18 de fevereiro.  O anúncio oficial foi feito pelo próprio papa durante a Missa celebrada no último dia 12, na Basílica Vaticana, na festividade de Nossa Senhora de Guadalupe.

O lema da visita pastoral é “Papa Francisco: Missionário da misericórdia e da paz”, e sintetiza os temas mais presentes em seu ministério: misericórdia, justiça, compromisso, paz e esperança. Significa que Francisco vai ao encontro de todos, “sobretudo em meio aos mais carentes, para lhes levar o Amor de Deus e sua presença de paz neste mundo”, explica o sitewww.papafranciscoenmexico.org.

“O problema da migração atravessa o país de norte a sul e se fala-se dele”, disse bispo mexicano

TEMA PRINCIPAL: MIGRAÇÃO
O tema “migração” estará ao centro da viagem do Papa Francisco ao México em 2016, e as cidades que receberão o Pontífice serão escolhidas de acordo com o tema, como antecipou o Arcebispo de Tlalnepantla, Dom Carlos Aguiar Retes.
O ex-Presidente da Conferência do Episcopado Mexicano assegurou que a chegada de Francisco ao país é esperada não somente por todos os católicos, mas também por pessoas que não professam nenhuma religião.
 “A expectativa e a alegria por esta viagem são muito grandes”, afirmou o bispo, assegurando que a palavra do Pontífice vai ajudar muito a situação por qual passa o México. O bispo ressaltou que o líder católico foi, pouco a pouco, crescendo na aceitação popular até o ponto em que as pessoas seguem as suas palavras e a sua presença através de todos os meios de comunicação.

Neste sentido, considerou “relativamente fácil” preparar os católicos mexicanos para a visita, porque as pessoas “a estão desejando”. “É simplesmente ordenar todo este entusiasmo e fazer que tudo seja melhor aproveitado”, avaliou.
Bergoglio afirmou várias vezes que não poderia visitar o México sem passar pelo Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe, desejo este confirmado pelo Porta-voz do Vatiano, Padre Lombardi.
Esta será a sétima visita de um Pontífice ao México, após João Paulo II em 1979, 1990, 1993, 1999 e 2002 e Bento XVI em 2012.
Logo
O logo apresenta uma imagem do Papa no centro, unida pelos contornos geográficos do México e Nossa Senhora de Guadalupe, com seu manto estrelado. No alto, a Cruz da porta do Santuário, com a escrita “México 2016”, acompanhada pelo lema. As cores verde e vermelha, da bandeira nacional, somadas ao amarelo, do Vaticano. A tilma, tecido onde ficou originalmente estampada a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe, evoca a constelação correspondente ao dia da sua aparição ao índio Juan Diego, 12 de dezembro.


Programação completa da viagem (horários no México)

Sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

12h30 – Partida do Aeroporto de Roma/Fiumicino para a Cidade do México

19h30 – Chegada ao Aeroporto Internacional “Benito Juárez” de Cidade do México
Acolhida Oficial

Sábado, 13 de fevereiro de 2016

9h30 – Cerimônia de boas-vindas no Palácio Nacional
Visita de cortesia ao Presidente da República

10h15 – Encontro com Autoridades, com a Sociedade Civil e com o Corpo Diplomático

11h30 – Encontro com os Bispo do México na Catedral

17h – Santa Missa na Basílica de Guadalupe

Domingo, 14 de fevereiro de 2016

9h20 – Deslocamento em helicóptero para Ecatepec

10h30 – Santa Missa na área do Centro de Estudos de Ecatepec
Angelus

12h50 – Deslocamento em helicóptero para a Cidade do México

13h10 – Chegada à Cidade do México

16h30 – Visita ao Hospital Pediátrico “Federico Gómez”

18h – Encontro com o mundo da cultura no Auditório Nacional

Segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

7h30 – Partida em avião para Tuxtla Gutiérrez

9h15 – Deslocamento em helicóptero para San Cristóbal de Las Casas

10h15 – Santa Missa com as comunidades indígenas do Chiapas no Centro Esportivo Municipal

13h – Almoço com os representantes dos índios e com a Comitiva Papal

15h – Visita à Catedral de San Cristóbal de las Casas

15h35 Deslocamento em helicóptero para Tuxtla Gutiérrez

16h15 – Encontro com as Famílias no Estádio “Víctor Manuel Reyna” em Tuxtla Gutiérrez

18h10 – Partida em avião para a Cidade do México

20h – Chegada ao Aeroporto da Cidade do México

Terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

7h50 – Partida em avião para Morelia

10h – Santa Missa com Sacerdotes, religiosas, religiosos, consagradas e seminaristas

15h15 – Visita à Catedral

16h30 – Encontro com os Jovens no estádio “José María Morelos y Pavón”

18h55 – Partida em avião para a Cidade do México

20h – Chegada à Cidade do México

Quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

8h35 – Partida em avião para Ciudad Juárez

10h – Chegada ao Aeroporto Internacional “Abraham González” da Ciudad Juárez

10h30 – Visita ao Centro Penitenciário (CeReSo n.3)

12h – Encontro com o mundo do trabalho no Colégio Bachilleres do Estado de Chihuahua

16h – Santa Missa na Ciudad Juárez

19h – Cerimônia de despedida no Aeroporto Internacional da Ciudad Juárez

19h15 – Partida em avião para Roma/Ciampino

Quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

14h45 Chegada ao Aeroporto de Roma/Ciampino

A visita na Internet e nas redes sociais

A viagem do Papa ao México poderá ser acompanhada também no
Twitter (@ConElPapa),
Youtube (“Con el Papa en México”),
no Facebook (“ConElPapa”),
no Instagram e
Snapchat.
Fonte: Rádio Vaticano

24 de novembro de 2015

Santo protetor dos ouvidos

Ricardo Uperegrino 
Bom dia na Paz de Cristo Nosso Senhor e Salvador. Gostaria saber, qual o Santo e/ou santa protetor dos ouvidos e em que dia(s) se comemoram suas mortes. Desde já agradecido

Ricardo, São Policarpo é o padroeiro das pessoas que sofrem dores de ouvido. Sua festa se dá em 23 de fevereiro.

Foi Bispo e mártir (69-155), tendo nascido em Esmirna, Ásia Menor, atual Turquia. Os registros sobre sua vida nos foram transmitidos pelo seu biógrafo e discípulo predileto, Irineu, venerado como o “Apóstolo da França” e sucessor de Timóteo em Lion. 

Policarpo foi discípulo do apóstolo João, e teve a oportunidade de conhecer outros apóstolos que conviveram com o Mestre. Ele se tornou um exemplo íntegro de fé e vida, sendo respeitado inclusive pelos adversários. Dezesseis anos depois, Policarpo foi escolhido e consagrado para ser o bispo de Esmirna para a Ásia Menor, pelo próprio apóstolo João, o Evangelista.

Foi amigo de fé e pessoal de Inácio Antioquia, que esteve em sua casa durante seu trajeto para o martírio romano em 107. Este escreveu cartas para Policarpo e para a Igreja de Esmirna, antes de morrer, enaltecendo as qualidades do zeloso bispo. No governo do papa Aniceto, Policarpo visitou Roma, representando as igrejas da Ásia para discutirem sobre a mudança da festa da Páscoa, comemorada em dias diferentes no Oriente e Ocidente.

Apesar de não chegarem a um acôrdo, se despediram celebrando juntos a liturgia, demonstrando união na fé, que não se abalou pela divergência nas questões disciplinares. Ao contrário de Inácio, Policarpo não estava interessado em administração eclesiástica, mas em fortalecer a fé do seu rebanho. Ele escreveu várias cartas, porém a única que se preservou até hoje foi a endereçada aos filipenses no ano 110. Nela, Policarpo exaltou a fé em Cristo, a ser confirmada no trabalho diário e na vida dos cristãos. Também citou a Carta de Paulo aos filipenses, o Evangelho, e repetiu as muitas informações que recebera dos apóstolos, especialmente de João. Por isto, a Igreja o considera “Padre Apostólico”, como foram classificados os primeiros discípulos dos apóstolos.

Durante a perseguição de Marco Aurélio, Policarpo teve uma visão do martírio que o esperava, três dias antes de ser preso. Avisou aos amigos que seria morto pelo fogo. Estava em oração quando foi preso e levado ao tribunal. Diante da insistência do pro cônsul Estácio Quadrado para que renegasse a Cristo, Policarpo disse: “Eu tenho servido Cristo por 86 anos e ele nunca me fez nada de mal. Como posso blasfemar contra meu Redentor? Ouça bem claro: eu sou cristão”!

Foi condenado e ele mesmo subiu na fogueira e testemunhou para o povo: “Sede bendito para sempre, ó Senhor; que o vosso nome adorável seja glorificado por todos os séculos”. Mas a profecia de Policarpo não se cumpriu: contam os escritos que, mesmo com a fogueira queimando sob ele e à sua volta, o fogo não o atingiu.

O martírio de Policarpo foi descrito um ano depois de sua morte, em uma carta datada de 23 de fevereiro de 156,enviada pela igreja de Esmirna à igreja de Filomélio. Trata-se do registro mais antigo do martirológio cristão existente.

Oração: Ó Deus, Pai de Bondade, faça que minha palavra console os que sofrem e que minha presença sustente os que vacilam. Faça, também, que eu seja capaz de imitar firmemente seu exemplo e que seja para meus irmãos fonte de alegria, esperança e paz. Amém.